quinta-feira, 6 de novembro de 2008

They will sum it all up in a sentence...

Observações de um observado muito observador

Este comprometimento com a escrita reflecte um estado de alarme interior?
Organizar uma confusão interior parece ser o desafio...também anterior.
Percebo o meu dilema: apesar de compreender que a vida social é importante, e sendo uma dimensão que pretendo desenvolver, no meio em que me insiro as perspectivas, possibilidades e escolhas são limitadas. A austeridade caseira, apesar de atrofiante é dormentemene des-confortável. A poucas centenas de metros da minha casa a atrofia é dormentemente (des)confortável.
Espero poder percorrer o caminho da essência e ultrapassar o caminho da minha existência. Passar do último para o primeiro. Espero ter essa sensação todos os dias. Não desejo com isso fazer o mesmo caminho todos os dias, mas sim, todos os dias encontrar um caminho diferente para o mesmo destino: a essência de alguém.
Já não duvido que o caminho seja longo e árduo.
Mas percorremo-lo através da capacidade de amar o outro.

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Vou contar uma pequena anedota...

Um dia estavam Moisés e Jesus á pesca, no Céu. Jesus pergunta a Moisés:
- OUve lá, aquela história de separar as águas é mesmo verdade?
-É pois. respondeu Moisés.
Jesus Cristo desafiou:
-Então se é verdade mostra la isso...
E Moisés levantou-se do barco e separou as águas onde navegavam... Jesus ficou admirado com o truque do seu colega:
-Grande pinta 'Moi'. És mesmo o 'special one'.
- Obrigado. Tu também tinhas umas brincadeiras muita giras. FAz lá aquela do andar em cima da água... disse Moisés.
Jesus saiu do barco, para o truque, mas em falso mergulhou e começou-se a afogar. Moisés foi em seu socorro e puxou-o para o barco.
- Então o que aconteceu? - perguntou o judeu. Respondeu JC assim:
- Acho que foi porque na altura não tinha os pés furados...





AHAHHAHAHAHH

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

2008 baboseiras

2 meses depois começa a nova época blogaica. Esperemos que os novos posts despertem reacções diferentes. O ambiente por agora anda confuso. Um verão que não o foi, um outono que também não o é. A folha cai mas o sol brilha enquanto há um mês a flor abria e o sol chorava. Algo vai mal neste sítio. Andaram a brincar com a natureza e agora baralharam-nos as estações. Surpreendidos? Não deviam.
Andaram a brincar connosco também. Na época 'silly' em vez de nos alimentarem com as estupidezes normais em tempo de Agosto deram-nos preços do petroleo e criminalidade elevados. Tinham q balançar estes assuntos sérios com coisas mega 'silly'. O duelo Benfica *FCP foi uma boa tentativa. O país andou á beira da guerra civil.

Ontem no programa Eixo do Mal, um dos seus intervenientes dizia que o capitalismo estava melhor que nunca e que este se auto-regulava. Não precisava de mais consciencia social do que aquela que terá tido até agora. Pergunto-me se a silly season já acabou ou ainda dura. Não sou Economista mas acho que este indivíduo (se se pode chamar isso) é um ser único. Um ser singular na natureza. TAlvez seja ele o elo perdido entre o Hommo sapiens e o Neandertal... Ele veste-se como nós mas pensa como os outros. Um trans - qualquer coisa.

domingo, 20 de julho de 2008

pensamentos metereológicos

Hoje o verão pregou uma partida: após o nevoeiro matinal, houve um pequeno período de intensa chaleira logo interrompida por mais nevoeiro que agora se adensou... VAI PREGAR PARTIDAS PARA INGLATERRA VERÃO DA MERDA!!!

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Pensamentos Ambientais.

Agora com a história da sustentabilidade, pertinente, acho que uma boa ideia era inventarem um ginásio com máquinas que acumulassem a energia gerada pelos utentes: por exemplo, se pusessem um alternador em cada um dos aparelhos eles gerariam energia para as luzes ou mesmo para guardar... o pior depois era a DECO vir dizer que os consumidores andavam a ser chulados e que os ginasios ainda deviam pagar...

Pensamentos Filosóficos

Um gás atinge o nirvana quando se transforma em peido.

quinta-feira, 29 de maio de 2008

Transito Intestinal qualquer dia estás cotado na Bolsa

Ao meu lado esquerdo vejo a ridicula situação de dois estudantes de Psicologia estarem lado a lado em computadores diferentes a falar pelo msn.

O Actimel grassa. L casei Imunitass para todos. MAS COZIDO Á PORTUGUESA QUE È BOM COM TODOS AQUELES ENCHIDOS NINGUEM COME!!

O resultado está a vista, caras bonitas com rabos magrelas em mentes vegetarianas. O problema está quando as pessoas vêm o interior das coisas, assustam-se e fogem...mas como as crianças que fogem da propria sombra, nao percebem que quando fogem levam o seu interior consigo. Esta é apenas uma vicissitude do caminho que se percorre, uma etapa do percurso. Não convém ficar pela etapa, é preciso concentrar-mo-nos na meta.

A meta é multidimensional, é metadimensional. Para além das dimensões
Mas para mim o que é comum nas metas de todos nós é a aceitação do interior, a consciência desse interior, o que implica que se aja em conformidade com ele.

É mto diferente de andar a papar actimel á bruta quando o que é preciso é fibra. Fibra dura.

quarta-feira, 21 de maio de 2008

toxico social


depois de varias tentativas falhadas de começar um texto desisti. Nao tenho a minima apetencia neste momento para escrever sobre o que seja. Neste momento estou vazio, nao tenho aspirações nenhumas. Acho que os momentos de inspiração não se escolhem. Acontecem e pronto. Há um desejo e ele é convertido na nossa linguagem. Se não há desejo a linguagem tem uma caracteristica vazia. Tira-se o sumo e sai pouco. Este mal nao é exclusivamente meu, apenas a linguagem.

domingo, 18 de maio de 2008

Musicas do Fundo


Cada década tem uma característica musical. Será mesmo assim? Tenho muitas dúvidas pois em 10 anos aparece tanta coisa diferente que me parece dificil compilá-las sob um tema comum a não ser que esse tema seja: "musicas que foram editadas na década de tal" e esse é um tema superficial para não dizer pueril.


Lançado o mote, pergunto: o que tem a década de 80 de tão musicalmente apetecível que todos os bares tenham uma noite a ela dedicada, de 30 em 30 dias?

Resposta: a depressão.


Senão que sentido faria ouvir de novo o que já foi feito? Os anos 80 foram depressivos e isso reflectiu-se na música e nos comportamentos. Os anos 70? Tão excessivos que só o revivalismo faz puxar mocas que se pensava estarem recalcadas! Não, os anos 80 são os anos do "Ó tempo, volta pa trás!" São os anos do "Não conseguimos tirar satisfação suficiente do nosso quotidiano, por causa do cavalo e então temos q andar a ouvir a mesma coisa, over and over."


Os anos 80 foram brilhantes, lançaram musicos que fizeram os anos 90. MAS ESSES NAO SAO OS MUSICOS QUE SAO LEMBRADOS!!!

So se lembram do que era feito em cadeia na altura. Aquilo que encaixava no molde. E, pior do pior: hoje em dia ainda sai esse prato. Bolorento e bafiento.

Se a ASAE sabe...

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Desejos Meditativo- Carnais

Um dia feliz para mim é um dia de sol. Com calor. Um dia por minha conta. Acompanhado. Num sitio onde nao seja necessario dinheiro, gasolina, onde a palavra respeito nao seja utilizada, onde nao seja necessaria, onde nao haja questão que se ponha a palavra respeito no vocabulário pois a sua contraditória também nao é conhecida (DESRESPEITO). Um dia no silêncio mais puro e realizante. Á beira dum rio, ouvindo pássaros, sapos e água a fazer amor com o leito do rio.

Podia haver uma toalha estendida, a Claudia VIeira a tomar banhos de sol e sentimentos fogosos também.

terça-feira, 6 de maio de 2008

Musica nas Ventas


Fui-me informar de concertos aí nas redondezas (depois do trauma de 6ª feira) e fiquei cheio de fluxo sanguíneo nas partes onde acaba o tronco e começam as pernas.

Senao vejamos: no Super Bock Super Rock vêm Slayer e IRon Maiden. Tenho alguma curiosidade... mas como nao conheço a fundo o reportório vou-me abster.

No Optimus Alive vêm Rage Against The Machine, e Cansei de Ser Sexy. Os 1ºs sao uma tentação ha largos anos, que entretanto esmoreceu. Os 2º sao um devaneio apetitoso. Uma musica maluca que ganha largo interesse por ser uma banda carioca que nunca foi respeitada no país de origem. E isso é sinónimo de qualidade (farpas injustas as minhas!)

Agora aquilo que me sujou as truçes foi o Paredes de Coura. Vêm ca os mexicanos Mars Volta.

Salsa Psicadélica. Nunca ouviram? Vão lá para ver como é.


dEUS também é de ver, eu que tanto ouvi mas nunca assisti a um concerto. Mas suspeito que seja uma desilusão pois duvido que vão lá tocar musicas do 1º album e 2º album, para mim os melhores.


Agora ha dois contras: o 1º é assistir aos Sex Pistols. Nada contra os artistas, muito a favor. Mas eu próprio já aceitei o facto de não pertencer á mesma geração. Porque nao aceitam eles também o facto de não pertencer á minha?? Descansem em paz, senhores! Vão ajudar a educar os vossos netos. Já fizeram muito pela musica mundial.

O segundo contra são as bandas: The Wombats (...) e The Rakes. Foda-se

Já chega. Mandem esta catralhada para um bunker com a água minada em viagra e vão busca-los lá daqui a 3 anos, para aprenderem a vida.

segunda-feira, 5 de maio de 2008

Palavrão


Exorto quem ler este texto a acompanhá-lo com a musica Book 1: Page 18 de Fantômas.


A linguagem. A comunicação partilhada. Quiçá das maiores tecnologias que o humano inventou e tenho as minhas dúvidas que depois dela tenha havido outra tão marcante. A internet será antes uma forma de veicular a comunicação. A internet será uma invenção comparável á do papel, enquanto a linguagem, a capacidade de simbolização é anterior a essa.

O próprio Freud assinalava a aprendizagem do uso da palavra como um marco fundamental no pensamento, pois este seria dificilmente manejável sem o recurso ao verbo.

Da minha parte estou cada vez mais convencido que o processo criativo, o processo da saúde, se apoiam num uso sustentado de uma linguagem que os vários elementos do diálogo entendam.

Uso sustentado? Apoio numa linguagem? Continuo muito vago.

Ilustrando:

Uma palavra é uma representação actualizada de algo que é sentido, palpável ou conhecido pelo sujeito. Através da palavra lembramo-nos da coisa sem precisarmos da sua presença. Vantajoso? Sem dúvida. Através do processo de significação das coisas por palavras (não necessariamente palavras, pintura, escultura, música...) damos um 'sentido' (foi sentido) ao nosso mundo interior. Agilizamos o pensamento, damos-lhe umas asas. Libertamos o pensamento da brutidade concreta e da horrorosa angústia de lidar com as coisas em si. Temos agora uma almofada na cabeça que nos permite conhecer os seus meandros sem que isso implique um ataque "ao corpo da mãe" como dizem os psicanalistas.

E enquanto debitava estas frases pensei no efeito da palavra Deus. A que corresponde essa palavra? Terá sido o inaugurar das palavras sobre abstracções o que é sem dúvida um avanço, e será esse o grande ponto positivo e o motivo principal pelo qual o Moisés disse: "Não pronunciarás o nome Dele em vão." O motivo pelo qual se começou a falar em Deus foi mesmo esse: agora somos independentes, nao precisamos de acreditar. Sabemos falar, nao precisamos de acreditar. Nós sentimos e não precisamos da sua presença! Não o Velho Barbudo, esse foi o sentido prejudicial que minou e amedontrou seres vivos até se lhes entrar nos genes, mas o pensamento articulado por palavras, palavras animadas por emoções, que permite conhecermo-nos a nós mesmos....

terça-feira, 29 de abril de 2008

Ro Ro


Hoje os dois melhores avançados dos anos 90 são notícia. Ronaldo ( O Lima, o Fenómeno, o do Barcelona, Inter, Real Madrid e Ac Milan) envolveu-se com travestis. Romário (dispensa distinções e apresentações) diz que já mandou trancadas num avião e que é (ou foi) melhor que o Pelé.


Grande Romário! O Scolari vai passar pelo futebol enquanto do Baixinho ninguem se vai esquecer...

Pequenas impressões de um dia que vai curto


1º tive que mandar um pique para apanhar a camioneta

2º o velho barbudo que um dia hei-de ir aos cornos olhou para mim

3º o velho barbudo vai sempre na mesma camioneta e qq dia vou-lhe a boca.

4º La porque vai engravatado nao invalida que lhe mande uma arrochada nas ventas

5º GAjas boas que me monopolizam a atenção

6º O sporting hoje é uma merda maior que ontem

7º Chegamos a Lisboa mas eu queria era dormir...
8º Sorte grande nos transportes: Way to go!

9º Apanhei uma sirigaita a olhar-me para as nalgas. Quando o perseguidor se torna perseguido

10º Estagio. Tudo a correr bem

11º a Praça do Comercio cheia de mendigos. É terrivel e desolador.

12º No ISPA, uma gaja presa no elevador... HAHAHHAH "Calma Ines ja te tiro daí!" Mulheres....

13º A biblioteca tem um efeito sedativo... quando já sentia as unhacas do Freddy acordei

14º A minha honra é recuperada: na semana anterior uma garota perdeu o telemóvel na biblioteca e ela e a amiga desconfiaram de mim! Na altura reparei porque olharam para mim e senti-me desconfortável com a situação... mas não fui eu embora gostasse de ter sido! AGora a amiga menos dotada fisicamente (embora pujante) veio pedir-me desculpa pq ja encontraram o telemóvel

15ºAgora as duas azeitoninhas estão no computador em frente... "Não Roubarás!"

16º Antes da 13º impressão fui ao bar onde estava um ex professor, assumidamente benfiquista. Lá comentava com os funcionarios do bar que viu na TVI o Pedro Almeida, psicólogo do Benfica, atrás do banco de suplentes a festejar o golo do Luisão. Pedro Almeida assumidamente...sportinguista!

17º O toque de telemóvel mais ridiculo do dia: a musica "Wouldn't it be nice"

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Contos Tradicionais Do Funchal


Era uma vez um viçoso jovem chamado Alberto João e um pujante cavalo chamado Jardim. Cavalgavam juntos pelas veredas da ilha da Madeira. Um dia, quer o jovem quer o cavalo tiveram pulsões e foram para trás de uma moita, onde havia um casinhoto abandonado. Lá o cavalo e o jovem satisfizeram as suas pulsões chegando aos limites do prazer. O que saiu dali foi um personagem meio jovem, meio cavalo, chamado Alberto João Jardim, protagonista do reclame do Banif.


quinta-feira, 24 de abril de 2008

Poisa aqui, poisa ali....


Agora que a Primavera chega á sua plenitude, antecipando o Verão, vê-se o efeito que o polen tem sobre as abelhas.

Elas zunzem por aí á procura do melhor produto para levar á colmeia. Contudo, as colmeias, fascinante sistema, também adoecem e morrem. Isso derivado da desorientação das suas células, as abelhas.

É assim com os humanos também. Temos muito e bom mel. Mas as abelhas andam desorientadas... Elas andam com sede de vingança e isso afasta-as do que é mais genuino nelas: o prazer.
(vemos ao lado ministra porque também ela é uma abelha desorientada!)

terça-feira, 15 de abril de 2008


Há por aí agora uma publicidade a uma marca de cuecas onde é protagonista uma cidadã de nome Claudia Vieira. Nome de amendoa. Docinha.


O problema não é o ar engraçadissimo que ela passeia no mundo. Pergunto-me: desde que a vi pela primeira vez nesta sua função de publicitar cuecas (há mais de um ano) quantas vezes ela se deitou numa cama com aquela lingerie (cuecas)? Acompanhada? 634? 1? 9807, acompanhada de um novo modelo da Rowenta?


O problema é exactamente os ares com que ela aparece nas vitrines da JP Decaux. É um ar palerma, imbecil, que dá provas que o público alvo seja o feminino. E depois são cenários quase que escolhidos por alguém que diz que leva no cu por dinheiro, mas no fundo é por prazer: a Claudia Vieira a tomar o pequeno almoço. A Claudia Vieira a engomar a roupa. A CLaudia Vieira ri-se para a câmara...

Eu para tomar o pequeno almoço levo as meias e os boxeurs. Não meto base e nao me maquilho. MAS SE LEVASSE NO CU POR PRAZER E DINHEIRO TALVEZ O FIZESSE!


E se os cenarios fossem: A Claudia VIeira a dar de comer ás galinhas, a Claudia VIeira a encerar o chão (de cócoras...com aquelas gostosinhas peitorais a dar a dar), a Claudia VIeira a fritar batatas, a Claudia Vieira a beber Sagres em frente á tv....


Partes-me o coração CV!

terça-feira, 8 de abril de 2008

NickelBack (um tostão pelo teu rabão)


Hoje ás 9: 32 (sensivelmente) quando chegava á minha escola ocorreu-me este pensamento: se eu fosse um daqueles sortudos da MTV que vão visitar as bandas favoritas... e pedisse para ir conhecer 'in loco' a banda que eu menos me esforço para saber algo dela, banda que me é mais indiferente, que musicalmente me é mais agressiva, que me faz questionar a seriedade com que os produtores e editores das 'labelssss' escolhem os músicos: os Nickelback!


Aonde me levariam? Pelo timbre da sua musica eu diria que a roulotte onde eles dormem ta cheia de papel higienico usado e necessitado analmente. Preservativos. Dos usados. Cheiro a merda a vir da borradeira. Essa roulotte pensada para 2 pessoas serve para a banda total e está estacionada em Hanna, no Estado de ALberta.


Eles comunicam entre si por grunhidos, não controlam os esfíncteres e nos tempos livres comem amoras e catam pulgas uns aos outros.

quarta-feira, 12 de março de 2008

Safadas


O teu olhar transparece desconfiança... Estás-me a estranhar??

Campeões do Asfalto


O que vemos aqui é a entrega da 1ª taça Dos Campeões Europeus (o post anterior foi acerca da 2ª). Foram várias as finais que disputamos contra outros TITÃS do Olimpo. Em nenhuma delas ouvi ser mencionado o nome de Alvalade...

terça-feira, 11 de março de 2008



O que vemos acima é a final da Taça dos Campeões Europeus em Futebol de 11, disputada em Amesterdão no ano de 1962. Os TITÃS são o Real Madrid e o Benfica. Camacho, acho agora que tu subestimavas o Benfica...

terça-feira, 4 de março de 2008



VIVA NAPOLEÃO! VIVA A ASSOCIAÇÃO NAPOLEÓNICA PORTUGUESA! O PRÓXIMO ENCONTRO É ATRAS DAS MOITAS, NO VIMEIRO!
As vezes acho que ando a ficar bdjárans. Mas os polvos dentro do meu cérebro dizem que tou a ficar diouf. O que é bem diferente...

Indo para assuntos mais concretos, acho que é altura de as pessoas pensarem que ir a um psicólogo, fazer uma psicoterapia é um investimento tão legítimo como comprar uma vivenda, um carro ou um vibrador em marfim. A questão é que as pessoas preferem algo que os outros possam ver e invejar: uma casa com cascatas, um carro com um par de chavelhos na frente... esse tipo de excentricidades.

Uma psicoterapia pode custar uma casa mas também pode custar euros que seriam gastos de qq forma e, alem do mais, reverte sempre a favor do investidor. Não que seja a solução para todos os males do mundo, o EL DOURADO da civilização mas podia ajudar a sociedade portuguesa a evoluir um pouco.

Isto porque vivemos um passado presente em vez de vivermos um presente passado futuro

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

Perturbação Cinestésica do Pensamento

Tenho pensamentos rijos na cabeça. O que vale é que é boa música. É sempre a mesma música mas dá-me prazer carregar no play mental e repeti-lo vezes sem conta. Exercer controlo sobre as coisas. Manipulá-las. Píveas mentais.
A verdade é que nao exerço controlo sobre esta música, ela aparece repetitivamente sem que eu a chame, é aqui que a masturbação deixa de o ser.
Além disso, apenas ocasionalmente me traz desconforto esta condição.
Só gramo pitéu do bom e isso tem vantagens!

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

Freud explica...


Sem linguagem, as relações são laboriosamente figuráveis como o são no sonho, e muito dificilmente manipuladas por um raciocínio.

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Depressão Económica ou Economia Depressiva?

Depois de ontem ter visto o fim do "Prós e Contras" fiquei a pensar que a confiança dos investidores (pequenos, médios ou grandes) na economia é proporcional á confiança dos eleitores e não-eleitores (de pequeno se torce o pepino) na política. Hoje, em complemento a estas divagações, li este artigo que, embora o assunto não esteja directamente relacionado, foca um aspecto importante da cultura portuguesa.

(...)" Mas ao contrário do que dizem os velhos do Restelo, Portugal, nas últimas décadas, tem marcado pontos no campo da investigação científica, com descobertas reconhecidas internacionalmente, em campos tão diferentes como a genética, o sistema nervoso central ou as bioengenharias, para falar apenas alguns.

Prova disso são a existência, só na Região Norte, dos Institutos de Biologia Molecular (IBMC), Patologia e Imunologia Molecular (IPATIMUP), e de Engenharia Biomédica (INEB). Mas ontem foi dado um passo que revela, só por si, visão, inteligência e maturidade, qualidades quase tão raras como as doenças que estes investigadores estudam ao microscópio. Refiro-me á assinatura de um contrato de consórcio entre estes três institutos, que aceitaram ser designados por um único nome, o I3S, Instituto de Investigação e Inovação em Saúde. Afinal para problemas multifactoriais, só faz sentido soluções multidisciplinares, e os responsáveis destes organismos perceberam que a união faz a força. (...)

Mas o I3S promete mais, promete ser uma razão para que os cérebros portugueses fiquem por cá, que outros nos procurem, e garante criar 'saber' que interessa a empresas que trabalham nestas áreas, e recebem assim um estímulo a estabelecerem-se entre nós. Pela minha parte fico contente se nos deixarmos de nostalgias pelos Descobridores que ficaram na penumbra do sec. XVI e saudarmos os do sec. XXI."

Isabel Stilwell, in 'Destak', 29 de Janeiro de 2008.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

A inspiração não segue a procissão.


"O ter tocado nos pés de Cristo não é desculpa para defeitos de pontuação. Se um homem escreve bem só quando está bêbado dir-lhe-ei: embebede-se. E se ele me disser que o seu fígado sofre com isso, respondo: o que é o seu fígado? É uma coisa morta que vive enquanto você vive, e os poemas que escrever vivem sem enquanto."


Fernando Pessoa, in 'Livro do Desassossego'. Composto por Bernardo Soares.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

Deixa mamar


O grande problema agora é Sócrates chamar a Ota e dizer que têm q ter uma conversa:

"Querida... Há outra pessoa..."

"O que?! Meu Deus... como foste capaz! Depois de todos estes anos.."

"EU sei querida, desculpa. Mas aconteceu e é irreversível."

"Então e agora? E os nossos terrenos? Sempre estive muito distante nao foi? Diz-me que eu mudo! O que há de errado que eu mudo!"

"Estas optima assim, apenas apareceu alguem melhor, estive a estudar a situação e acho que é o melhor para mim."

"A estudar a situação? e o AMOR? É sempre o Melhor para ti! Não sabes AMAR!"

"Compreendo minha OTAria. Ja se dizia na Independente: Quem não ama, mama..."

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Correntes de ar

nao sei quantas pessoas vao ler isto, mas neste momento oiço vento na minha cabeça, vento que uiva e ui como ele uiva. Ao principio pensei que fosse alguem que tivesse a ouvir alguma musica estranha mas nao. É do espaço vazio que habita a minha cabeça e que cria correntes de ar com outros espaços vazios como os pulmões e o estomago. Poderia dizer o coração mas o meu coração nao esta vazio. Apesar de todas a s apunhaladas que tem apanhado todos esses golpes apenas tiraram a pele de um coração velho e podre que ja mto havia dado para revelar o coração de um leão! E este coração de leao tambem sera apunhalado e esventrado para que saia de la a criança que o habita. E o vento uivante tornar-sé-á numa brisa que sopra no final de tarde dum dia de verão, como uma continuidade que é descontinuada... um pouco á semelhança dessa característica humana que é o amor. O amor tem mais de descontinuidade que continuidade, assim como a brisa do verão ... mas o vento uivante é continuo e persistente e faz lembrar o inicio de uma musica que outrora soube o nome, provavelmente nao tem nome e é assim que a musica devia ser: sem nome. A musica devia ser apenas musica, e assim este vento uivante seria apenas musica...

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Noites Brilhantes

Fumei 8 brocas de seguida e a seguir pus-me a pensar... e constatei que ainda nao estava maluco. Bebi 6 tequilas e a mistura fez-me reflectir sobre o meu viço mental. Que lucidez! Que clarividência! Que pensamentos fluídos banham o meu órgão mental! Não contente destilei 1 grama de cocaina e aí é que me saltaram as catotas pelo cranio: que inteligência a minha! mas que poder de pensamento! Fui-me ver ao espelho para verificar se a minha cabeça teria inchado tal era a força que eu sentia sobre os seus musculos. Quando já pensava ir ao registo civil mudar o nome para Osvaldo "Fenómeno" das Matas eis que me ocorreu papar 3 gotas de ácido. Tenho estrias nas nalgas e nao me lembro de nada...

segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

'Ambrósio, hoje acordei debochada..."

"Somos mais injustos para quem nos é perfeitamente indiferente do que para quem nos é inimigo."
-Nietzsche-

Parece sempre bem citar Nietzsche, dá um ar denso e esotérico a qualquer texto. Até porque é um autor que congrega 5 consoantes seguidas e isso não é facil.

O que trago com esta citação é o seguinte: é preferível viver no ódio do que não viver. É preciso amar suficientemente bem para se poder odiar. O ódio é a cereja no topo do bolo cremoso do amor. Diria antes a rodela do sant'ananás porque é mais ácida e calha melhor num bolo com muitas natas. As natas vêm do leite e o leite vem do seio materno. O amor vem desses tempos idílicos do seio materno. O ódio já será mais evoluído. Mas o ódio é o funcionamento excelente por natureza, o funcionamento humano. Um animal não odeia. Um animal, o leão por exemplo. Ele não odeia a garça. Ele quer comer a garça. Ele ama a garça mas vai comê-la. É pragmático. O homem não é pragmático. Por isso é que os leões ainda são leões e os homens já deixaram de o ser. Os homens não conseguem ser pragmáticos porque não suportam assumir aquilo que é seu por natureza: o ódio. Um povo invade um país mas não consegue dizer que o odeia: é para instalar a democracia, assim nao pode ser! Mentira. É porque lá no fundo eles odeiam o povo invadido, e como tal fazem-se passar por animais dizendo que é para a sobrevivencia da humanidade, etc.
É claro que o ódio nao pode ser expresso assim de modos tao crus que nos façam de repente regressar aos neandertais! É claro que esta apologia do ódio so faz sentido se este ódio for bem recheado, se houver densidade nele. É a agressividade que nos faz mover, o desejo de libertação que nos impele a alcançar novos horizontes mas estes sentimentos devem ser dirigidos para o nosso horizonte. O ódio é a faísca que permitiu ao homem descobrir o fogo. E esse fogo é que nos aquece de noite. É um pequeno tesouro que convém guardar comedidamente.
Agora a indiferença não presta para nada. Presta para sermos ignorantes, para sermos feios. Uma pessoa indiferente, é não-diferente. É igual ao resto, é uma massa sem forma, sem cor sem brilho, sem cheiro, sem rosto. Até um demónio tem algum charme. Uma cara perfeitamente simétrica não é atraente a ninguém, até algum toque de assimetria sopra uma brisa de beleza sobre o rosto do diferente.