terça-feira, 6 de outubro de 2015

Temístio

Admirar o homem que contraria todo o tipo de opressões porque, só assim, a sua vida estará de acordo com o espírito do mundo. Tal compromisso motiva-lo-á a arriscar a sua tranquilidade e a própria vida sob o lema da liberdade do espírito, que na sua forma mais perfeita se confunde com uma justiça suprema. A existência é o caminho para que possa  fazer brilhar onde antes havia escuridão, percorrendo-a sem ceder a ameaças ou obstáculos. 

Temístio está num nível superior. Alcançou a beatitude e a serenidade dos eleitos, já não o movem os interesses pessoais, as paixões orbitam mas o centro do ser é calmo. Perante as pedras que o atingem, os seus lábios sorriem...palavras e gestos despertam razões. Não sente  as tiranias sobre a terra e não se queixa da violência dos outros, pois despojou-se da própria fraqueza e procede como um homem livre. Se tremeu, não acusou quem vinha de fora, fundou ainda mais os seus alicerces. Então porque se bate Temístio? Porquê se ultrapassou a dicotomia opressão versus liberdade?

Luta pelos que não chegaram á sua libertação, que se sentem formatados, esmagados e se sentem levados a trocar o que é humano pelo que é bruto e escuro. Defende-os do abuso e do terror. O tirano, a alma mais escrava de todas, será atacado no seu interesse. O meio será o da persuasão e falinhas mansas. No fim todos serão objectos de amor, e do interesse obstinado de Temístio em elevar a natureza humana, despegando-se da Terra, contemplando o céu...