quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Observações de um observado muito observador

Este comprometimento com a escrita reflecte um estado de alarme interior?
Organizar uma confusão interior parece ser o desafio...também anterior.
Percebo o meu dilema: apesar de compreender que a vida social é importante, e sendo uma dimensão que pretendo desenvolver, no meio em que me insiro as perspectivas, possibilidades e escolhas são limitadas. A austeridade caseira, apesar de atrofiante é dormentemene des-confortável. A poucas centenas de metros da minha casa a atrofia é dormentemente (des)confortável.
Espero poder percorrer o caminho da essência e ultrapassar o caminho da minha existência. Passar do último para o primeiro. Espero ter essa sensação todos os dias. Não desejo com isso fazer o mesmo caminho todos os dias, mas sim, todos os dias encontrar um caminho diferente para o mesmo destino: a essência de alguém.
Já não duvido que o caminho seja longo e árduo.
Mas percorremo-lo através da capacidade de amar o outro.

2 comentários:

Jorge Animal disse...

Tu queres é atravessar a estrada e ir pôr a mangueira da gasolina...

MariaJMano disse...

"Os génios são assim, o medo de se darem e perder tudo o que deles se transforma em triunfo.
Condenados à solidão, que injusto! Não sei se é assim, não sei se será assim. Passo pelo mesmo, mas ainda de forma imatura. Descubro a ousadia de ser o mais profundo de mim, a medo (ainda). MAS SÓ. Se não, já seria EU. Destino? Aceitação!!! TUDO o resto vem depois." (Pensamento meu anteriormente construído que decido partilhar aqui depois de ler o teu: Pensamento partilhado é sentimento expandido!!)