domingo, 23 de dezembro de 2007

Miragens...(titulo provisorio)

Registando o que é vergonhosamente registável, respirando como se estivesse a correr, a sensação no estomago é penosa e sofrível. O tempo passa ao sabor de uma respiração que é difícil e dolorosa. A dor é a mãe do tempo assim como a vida é sofrimento. Esta preocupação estomacal observa os grãos de areia que vão caindo na minha barriga e verifico grão a grão quantos caíram, esquecendo-me das dolorosas evidências.
Terá a vida um prazer de fundo? O prazer de viver é um facto em si que dificilmente se poderia chamar de prazer. Quem vive á procura de prazer encontra mais dor e quem procura a dor encontra aí algum prazer...

1 comentário:

Animal disse...

Eu chamo a isso ansiedade...Zil
Mata-a antes de ganhar fruto!